domingo, 10 de julho de 2016

Poema esdrúxulo

saiu do facebook e foi à via pública
trajava calça jeans e blusa preta básica
seu rosto era pintado em estilo gótico
mas preferiu guardá-lo atrás de uma máscara
cantou e caminhou com a multidão de anônimos
gritou palavras de ordem no seu tom colérico
empunha uma bandeira megalomaníaca
e também um cartaz com uma frase irônica
a marcha foi contida a menos de um quilômetro
da entrada principal do Palácio Monárquico
deparou-se com a tropa e seu aparato bélico
com balas de borracha e spray de ardente líquido
escudos, cassetetes e bombas legítimas
que provocavam dor e instalavam o pânico
voltou-se contra aquele governo despótico
quebrou os vidros com um paralelepípedo
foi presa e enquadrada como sendo vândala
e apareceu de noite em programa fantástico
reparou que vivia situação esdrúxula
condenada à torturante pena máxima
de ver a reeleição de um desgoverno histórico
aliado a um congresso de antibióticos
preferia acabar como presa política
a apoiar ditadores fugidos do cárcere

‘Poema Esdrúxulo’ foi selecionado para publicação pela I Mostra Nacional de Poesia da Reforma Agrária "Versando Rebeldia" do Festival de Arte e Cultura da Reforma Agrária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário